Back to Top

Tudo seria mais fácil se fossemos adivinhas, porém não somos. Nos relacionamos com pessoas especiais, com amores que sabemos o quanto é difícil ter a sorte de encontrar, mas infelizmente não adivinhamos o que o outrem é capaz de pensar. Quais suas frustrações, receios e desenganos? Dúvidas que somos incapazes de compreender e eu odeio isso. Odeio ver o quanto o ser humano pode ser perverso quando se trata de sentimentos, odeio pensar que quem eu amo têm feridas que são difíceis de cicatrizar. A vida é assim, nos torna mocinho e vilão ao mesmo tempo, cobramos sem a intenção de ser cobrado, machucamos por já ter sido machucado, é um ciclo vicioso, a mágoa que passamos para os outros. A melhor escolha é ser livre desse sentimento de angústia cujo benefício é inexistente, entretanto o risco - de se envolver - deve ser corrido quando realmente vale a pena deixar nossos medos de lado, e aceitar que somos especiais para outro ser.
Como ele mesmo diz: “foi dada a largada” torna-se um grande desafio superar as expectativas de alguém, embora muitos não percebam, o sentimento de pesar nos cerca quando cometemos erros sem real intenção. O que conforta é pensar que o sofrimento é o intervalo entre duas alegrias, sem o auxílio de adivinhações, é possível notar que apesar dos pesares ele, paranóico e sincero com seu bom humor que seduz, sempre vai fazer parte desse contento.